Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Mulher é suspeita de matar o marido após descobrir traição, diz polícia

Mulher é suspeita de matar o marido após descobrir traição, diz polícia


Cabeleireira teria assassinado o marido a facadas em Juína (MT).

Familiares disseram que a esposa já havia ameaçado a vítima.


Do G1 MT

O funileiro Ramon de Souza Freire, de 46 anos, foi assassinado a facadas na noite de quinta-feira (14), na casa em que morava com a esposa e a filha, em Juína, a 737 km de Cuiabá. A mulher dele, a cabeleireira Telma Matias de Almeida, de 41 anos, é a principal suspeita de ter cometido o crime. Ela está sendo procurada pela polícia do município.

O G1 não conseguiu contato com a família da vítima.

Segundo a Polícia Civil de Juína, o caso é tratado como crime passional. O delegado Rodrigo Rufato, que investiga o assassinato, recebeu informações de familiares da vítima de que a esposa havia ameaçado assassinar o funileiro caso ele retomasse o relacionamento com a amante, com quem estaria envolvido havia certo tempo.

"A família falou que era algo anunciado porque casal não estava bem e a esposa teria dito ao marido que iria matá-lo caso descobrisse que ele havia voltado com essa outra mulher", disse o delegado. "Entretanto, a família não achou que ela tivesse coragem de fazer isso", acrescentou.

O assassinato ocorreu por volta das 19h. Quando a filha do casal, que está grávida, chegou à residência encontrou o corpo do pai no quintal. A mãe não estava, assim como a moto dela, mas havia deixado a bolsa dentro da casa. O funileiro recebeu várias facadas, mas o principal ferimento foi encontrado na parte de trás da cabeça, um pouco acima da nuca, disse o delegado.


O casal estava junto havia 25 anos. A Polícia Civil deverá ouvir familiares da vítima nos próximos dias. Rufato disse que, caso a cabeleireira não se apresente, deverá ser pedida a prisão dela, devido à gravidade do caso.
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização