Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Livro traz histórias da constituição dos nomes de importantes cidades mato-grossenses

Livro traz histórias da constituição dos nomes de importantes cidades mato-grossenses



por Danielle Tavares

O livro "Atlas dos nomes que dizem histórias das cidades brasileiras: um estudo semântico-enunciativo do Mato Grosso" analisa, de modo muito peculiar, como ocorreu a constituição dos nomes de diferentes municípios do estado. O lançamento oficial da obra ocorrerá, na próxima sexta-feira (29/04), no Centro Cultural de Cáceres.

Os artigos, somados, acabam por desenhar um atlas com os principais "acontecimentos" de nomeação das cidades mato-grossenses. São elas: Cuiabá, Porto Esperidião, Cáceres, Poconé, Santo Antônio do Leverger, Alto Araguaia, Alta Floresta, Figueirópolis d'Oeste, Salto do Céu, Vera, Santa Carmem, Cláudia e Sinop.

Escrito por reconhecidos cientistas sociais ligados ao campo da linguagem, a coletânea traz 14 textos de pesquisadores, docentes e discentes da Unemat e de diversas instituições superiores, como a USP, UFMT, UFSCar, UFMG e Unicamp.

No primeiro texto da obra, "Nomes de cidades de Mato Grosso: uma abordagem enunciativa", o pesquisador Luiz Francisco Dias (UFMG), aponta que o processo constitutivo dos nome das cidades de Mato Grosso carregam fortes marcas, entre elas: Referencial religioso:  característica marcante em regiões de povoamento no período colonial; Refundação e diferencial: o adjetivo "novo" passa a constituir a formulação nominal de várias cidades de povoação recente; Religamento: na movimentação migratória, pioneiros traziam nomes que lembravam a sua terra natal; Homenagens: personalidades ou mulheres representantes de empresas colonizadoras; Acidentes geográficos: casos em que a cidade recebe o nome por se situar na desembocadura ou ponto de extensão de um rio; Fundamento empresarial: algumas empresas colonizadoras foram tão decisivas na constituição de cidades, que a sigla da empresa tornou-se a sua designação.

De acordo com a historiadora Elizabeth Madureira Siqueira, ao prefaciar o livro, "Mato Grosso estava a esperar esse tipo de análise, que toma a linguística histórica apoiada nos sujeitos enunciadores, estudo bem fundamentado teoricamente e de grande sustentação e criatividade analítica".

O livro é fruto de projetos de pesquisa que contam com o apoio financeiro da Fapemat e do CNPq. Tem como base estudos desenvolvidos pelo grupo de pesquisa, intitulado "Nomes próprios: estudos da significação e atlas dos nomes que dizem histórias das cidades brasileiras ", ligado ao Centro de Estudos e Pesquisa em Linguagem (Cepel), do Programa de Pós-graduação em Linguística, da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat).

Programe-se! O livro "Atlas dos nomes que dizem histórias das cidades brasileiras: um estudo semântico-enunciativo do Mato Grosso", organizado por Taisir Karim, Ana Di Renzo, Joelma Aparecida Bressanin e Jocineide Macedo Karim, editado pela Pontes Editores, será lançado dia 29 de abril, no Centro Cultura de Cáceres.


Outras informações: (65) 3221-0021.
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização