Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Em Juína, mulher se apresenta à Policia e confessa ter matado o marido

Em Juína, mulher se apresenta à Policia e confessa ter matado o marido

Mulher confessa que esfaqueou marido e alega legítima defesa

Crime teria motivação passional e foi cometido na residência do casal.

Cabeleireira foi liberada após prestar depoimento à Polícia Civil de Juína.

Do G1 MT

           (MT) (Foto: Divulgação/Polícia Militar-MT)

A cabeleireira Telma Matias de Almeida, de 41 anos, se apresentou à Polícia Civil na tarde de terça-feira (19) e confessou que esfaqueou o marido, o funileiro Ramon de Souza Freire, de 46 anos. Ela disse que agiu em legítima defesa porque o esposo a teria agredido. O crime aconteceu na noite de 14 de abril, na residência do casal, em Juína, a 737 km de Cuiabá.

Telma compareceu à delegacia do município com um advogado e foi liberada logo após prestar depoimento. A cabeleireira foi ouvida pelo delegado Rodrigo Rufato, que investiga o caso, e contou que cometeu o crime depois que ela e o marido iniciaram uma discussão e ele a agrediu.

O desentendimento dos dois teria sido iniciado porque o funileiro estaria tendo um caso extraconjugal. "A discussão começou por causa disso. Ela contou que disse para ele deixar a casa, e ele se negou. Depois, ela disse que iria sair, mas ele não deixou. Foi quando teria começado a agressão dele", disse o delegado.

Depois de esfaquear o marido, a cabeleireira fugiu de casa e ficou num sítio de familiares, segundo contou à policia. Telma contou em depoimento que, quando deixou a residência, não sabia que o marido havia morrido em decorrência dos ferimentos. E que disse à filha do casal, que está grávida, para chamar uma ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para socorrê-lo.

Rufato contou ainda que a cabeleireira demonstrou estar arrependida do crime e que vai ouvir mais depoimentos durante as investigações para decidir se irá pedir a prisão dela. Telma e Freire estavam juntos havia 25 anos, aproximadamente.
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização