Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » TCE determina vistoria em obras inacabadas da Copa do Mundo

TCE determina vistoria em obras inacabadas da Copa do Mundo



Itens fazem parte de 22 contratos assinados pela Secopa

TCE deverá iniciar vistorias técnicas nas obras ainda nesta semana

Mídia News  

O Tribunal de Contas de Mato Grosso inicia esta semana, vistorias técnicas em 16 obras da Copa do Mundo de 2014 que fazem parte de 22 contratos assinados entre a Secretaria Estadual Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) e empresas do setor da construção civil, desde 2012.

Conforme relatórios situacionais entregues pelo secretário Eduardo Chiletto ao conselheiro relator das contas de gestão da secretaria, José Carlos Novelli,   cerca de 95% das obras estão com os cronogramas atrasados. Após as vistorias, as empresas serão notificadas pelo TCE e poderão ter os contratos rescindidos.

Poderão ocorrer ainda em penalidades administrativas impostas pelo Tribunal como declaração de inidoneidade e serão proibidas de participar de licitações públicas. A reunião de trabalho aconteceu na tarde desta segunda-feira (29), no TCE-MT.

Entre os dias 20 de outubro e 15 de dezembro de 2015, as empresas assinaram Termos de Ajustamento de Gestão (TAGs) com o Governo do Estado e o TCE-MT, comprometendo-se em finalizar as obras.

 “Fizemos tudo que era possível, todos os contratos foram atualizados e os pagamentos estão em dia. Mas as empresas não estão cumprindo com o cronograma, em alguns casos o ritmo é muito lento. Notificamos e multamos, mas existem pelos menos nove casos muito críticos. Cheguei ao meu limite do bom senso”, desabafou o secretário.

Trincheira Mario Andreazza

Entre os casos mais graves apontados no relatório da Secit, pode ser citado a Trincheira Mario Andreazza, Trincheira dos Trabalhadores, Arena Pantanal e COT UFMT. O conselheiro José Carlos Novelli recebeu os relatórios e concordou com o secretário sobre o descumprimento dos TAGs para a finalização das obras. “Deveriam estar prontas antes da COPA 2014, o que significa um grande prejuízo para a sociedade”.

Novelli lembrou que, em fevereiro de 2014, foi realizada uma reunião com as empresas, a Secopa e o TCE e todos assinaram um compromisso de que as 16 obras deveriam ficar prontas em maio de 2014.

Após as vistorias técnicas do TCE, Novelli informou que as empresas serão notificadas pelo Tribunal e penalizadas. “ Os TAGs servem para que se dê mais tempo para que os contratos sejam cumpridos e as penalizadas suspensas. No caso do descumprimento do termo de ajustamento as multas são aplicadas imediatamente”.

O relator confirmou que nos casos mais graves o Governo do Estado deve rescindir os contratos. “Podemos, em seguida, autorizar o Estado a realizar contratos emergenciais para que as obras sejam finalizadas”, assegurou.


O conselheiro lembrou que poderão ocorrer outras penalidades. “Essas empresas recebem do TCE a declaração de inidoneidade e perdem o direito de licitar com a administração pública”. A Declaração de Inidoneidade é prevista no art. 87, IV, da Lei nº 8.666/93, lei de Licitações.
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização