Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Novos policiais começam treinamento na Academia da Polícia Judiciária Civil

Novos policiais começam treinamento na Academia da Polícia Judiciária Civil



Assessoria | PJC-MT


O secretário de Segurança Pública, Fábio Galindo Silvestre, abriu o primeiro dia de aulas dos novos investigadores e escrivães do Curso de Formação Técnico-Profissional da Polícia Judiciária Civil, ocorrido na sede da Academia de Polícia, em Cuiabá, segunda-feira (29.02). No curso serão formados 458 investigadores e 37 escrivães que terão suas lotações nas delegacias de polícia da região metropolitana e do interior, a partir de junho deste ano.

O secretário falou aos novos policiais do compromisso firmado com a Segurança Pública para garantir tranquilidade à sociedade mato-grossense. “Temos compromisso com uma gestão eficiente, economizar recursos para aplicar em verdadeiras prioridades. Essa é uma verdadeira prioridade. Este é o segundo lote de policiais civis que ingressam nas forças. Ano passado foram quase 600. Este ano 500, será aberto concurso para 130 delegados e para mais de 1.200 investigadores e escrivães. Serão mais de 2.500 homens colocados na investigação. Tenho certeza que fará um enfrentamento duro à criminalidade”, destacou Fábio Galindo.

Galindo ressaltou também a qualidade dos novos servidores que estão entrando. “É  o maior chamamento da história de policiais civis. Mais que quantidade é a qualidade moral do pessoal que foi chamado. Os policiais civis, investigadores e escrivães estão motivados e tenho certeza que farão um grande trabalho em prol da sociedade mato-grossense”, afirmou.

O curso de formação tem regime integral com aulas teóricas, práticas operacionais e estágio supervisionado. Durante mais de três meses os policiais passarão por intenso treinamento de disciplinas da área fim da carreira policial, como defesa pessoal, técnicas de abordagem, tiro policial, inteligência, investigação policial, inquérito policial, entre outras.

“O negócio da Polícia Judiciária Civil é investigação de ilícitos penais. Os nossos homens sairão prontos para a repressão qualificada à criminalidade. Isso significa sairão aptos a realizar investigações em qualquer quadrante do Estado de Mato Grosso”, destacou o diretor da Acadepol, Marcos Aurélio Veloso e Silva.

Cuiabana, a investigadora, Débora Aparecida Ribeiro Pereira, formada em química, irá para o polo de Juína assim que terminar a capacitação na Acadepol. “Agora no curso temos visto de fato o que significa a função de investigadora. O que a gente faz, primeiramente, aqui é servir. Minha expectativa é ir para o polo e servir, fazer o meu melhor e poder contribuir com a segurança pública”, disse.

Uma das atrações da aula inaugural foi à apresentação preparada pela Gerência de Operações Especiais (GOE), com uso de técnicas, das quais algumas serão


ensinadas aos alunos-policiais no curso de formação. “O treinamento na academia é mais simples, mas os alunos terão conhecimento de muitas das técnicas empregadas aqui, principalmente,  a de dupla e treinamento em grupo”, disse o chefe de operações e instrutor do GOE, investigador Joelson da Costa Almeida.

A apresentação do GOE foi realizada com emprego de uma aeronave do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), que teve no comando da aeronave os delegados pilotos da Gerência de Operações Aérea (GOA), Dinelson Pires e Valter Furtado, deixou muitos alunos extasiados com as técnicas utilizadas. Os policiais das duas unidades simularam uma situação de assalto com refém em área urbana, que termina com a localização e o resgate da vítima na zona rural.

Os novos policiais também conheceram um pouco do armamento do GOE. Algumas das armas expostas estão no treinamento dos policiais, durante as aulas de tiro policial, como a espingarda 12. “Outras armas terão oportunidade de conhecer em curso junto ao GOE”, afirmou instrutor Joelson da Costa Almeida.

O delegado geral da Polícia Civil, Adriano Peralta Moraes, disse que a entrada dos novos servidores já surte reflexo positivo nas unidades policiais de Cuiabá e Várzea Grande, locais que serão vistos durante os três meses de formação, pois já começam o estágio supervisionado. “Vamos ter um melhoria nas investigações. Vai facilitar muitas diligências, serviços cartoriais, atendimento ao público, preenchimento de boletim de ocorrência. Hoje é o início do exercício das aulas e do estágio prático nas delegacias, para que em alguns meses possam estar definitivamente nas delegacias”, pontuou.

Para o escrivão, Silvio Kamasiro, que será lotado no polo de Rondonópolis, sair de sua cidade natal de Jales, no interior de São Paulo, para ingressar na Segurança Pública, mesmo que tão longe de casa, é a realização de um sonho. “Sempre tive interesse na área de segurança e prestei concurso para Mato Grosso porque tenho uma tia em Rondonópolis. Pelo que já conheci da PJC minhas expectativas só melhoraram”, afirmou.

A aula inaugural foi prestigiada por todos os diretores da PJC, pela secretária-adjunta de Inteligência da Sesp, Alessandra Saturnino, pelo diretor da Politec, Rubens Okada, o comandante do Bope, tenente-coronel, José Nildo, o presidente do Sindicado e da Associação dos Delegados de Polícia, Wagner Bassi (Sindepo),e  José Lindomar Costa (Amdepol), o presidente do Sindicato dos Escrivães, Davi Nogueira, delegados nas unidades de Cuiabá e Várzea Grande, investigadores, escrivães, e familiares.





Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização