Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Maggi quer PR na base de Taques em MT

Maggi quer PR na base de Taques em MT


SÔNIA FIORI 

Senador Blairo Maggi (PR) decidiu que não se filiará ao PMDB e já comunicou o fato ao presidente estadual do sigla, deputado federal Carlos Bezerra, e também as lideranças nacionais do partido. Maggi analisa agora se ficará sem legenda ou se permanece no PR.

A primeira hipótese agrada ao senador pela possibilidade de ficar mais livre durante as eleições municipais para apoiar candidatos sem ter que submeter-se a restrições partidárias. Veto do PSDB a coligações com o PMDB provocou reação de líderes e prefeitos do interior, o que fez com que Maggi refluísse da migração.

A segunda hipótese, que será objeto de avaliação nesta semana, está relacionada ao espaço que ocupa atualmente no Senado. Cargos e participação nas comissões do Senado ocorrem por indicação partidária. Blairo vai avaliar o tamanho do prejuízo caso decida ficar sem partido.

Se permanecer no PR, ele deverá tentar aproximação com o grupo aliado do governador Pedro Taques. Blairo Maggi quer fazer parte da base do governo. Isso não significa que poderá filiar-se a um partido da base governista. Blairo quer é levar o PR de volta para a base do governo, lugar que o partido ocupou durante todo o seu período como governador e também na gestão de Silval Barbosa.
Questionado sobre as dificuldades do PR junto ao governo por conta da atuação do deputado Emanuel Pinheiro e de posicionamentos do senador Wellington Fagundes, Blairo afirmou que pretende “cuidar disso”. Sinal de que a tendência é permanecer no PR.

Embora o senador acene com este desejo de levar o PR para a base governista, legendas como o PSD, presidido pelo vice-governador Carlos Fávaro, aventariam desde já a possibilidade de ter Maggi no grupo aliado. O próprio PSD seria uma alternativa. Líderes de partidos da base já teriam acenado para a busca de entendimento com Maggi.

A filiação de Maggi ao PMDB estava prevista para ocorrer, efetivamente, no dia 19 de fevereiro, em ato do PMDB em Cuiabá. Evento contaria com a presença do vice-presidente da República, Michel Temer. A vinda foi cancelada depois de conversa entre Temer e Maggi.

A deputada Janaina Riva (sem partido), também estava na lista de filiações a serem realizadas no último dia 19, além de outros nomes. Bezerra ainda tentaria convencer, nos últimos dias, parlamentares como Emanuel Pinheiro, a aderir à legenda.

O republicano disse que ainda não decidiu sobre deixar ou não o PR. Para Bezerra, Pinheiro seria uma alternativa para disputar a prefeitura da Capital. Na prática, o deputado tem outros planos. O seu projeto político está direcionada à Câmara Federal e no momento à disputa pela Mesa Diretora na AL.


Mesmo sem aderir ao partido oficialmente, Janaina visitou na sexta-feira municípios do interior, aproveitando para se reunir, em Sinop, com o prefeito Juarez Costa (PMDB).
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização