Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Ex-secretário e igrejas evangélicas são condenados a devolverem R$ 386 mil

Ex-secretário e igrejas evangélicas são condenados a devolverem R$ 386 mil

Ex-titular da Cultura, João Malheiros foi condenado por improbidade.

Convênio destinou R$ 193 mil para comemoração da Assembleia de Deus.

Do G1 MT


Ex-secretário de Cultura de MT, João Malheiros, foi condenado por improbidade (Foto: Fablicio Rodrigues/AL-MT)

O ex-secretário de Cultura de Mato Grosso, João Malheiros, foi condenado por improbidade administrativa e terá que devolver R$ 386 mil  por causa da destinação, quando ainda comandava a pasta estadual, de dinheiro público para custear a celebração do centenário das igrejas Assembleias de Deus no Brasil. O montante foi repassado por meio de um convênio, assinado em 2011, entre a SEC-MT e a Convenção Regional dos Ministros Evangélicos das Assembleias de Deus (Cormead-MT), também condenada pela Justiça a ressarcir o erário.

A decisão é do juiz Luis Aparecido Bertolucci Júnior, da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Ação Popular. O G1 não conseguiu localizar a defesa de João Malheiros para se pronunciar sobre a decisão. O ex-secretário de Cultura também já foi deputado estadual e vice-prefeito de Cuiabá. O advogado da Cormead-MT, Valter Evangelista de Jesus, disse que vai recorrer da determinação judicial.

O magistrado anulou o convênio em questão, que repassou R$ 193 mil para comemoração do centenário das Assembleias de Deus, porque entendeu que ele fere o inciso I do artigo 19 da Constituição Federal, que diz que o poder público não pode subsidiar cultos religiosos ou igrejas ou manter com eles relações de dependênca.

O juiz condenou Malheiros e a Cormead-MT ao ressarcimento de R$ 193 mil ao estado, com correção monetária desde 20 de maio de 2011 e juros de 1% ao mês, e ao pagamento de multa civil de R$ 193 mil, também com correção monetária de juros de 1% ao mês. O magistrado classificou como "grave" a conduta do ex-secretário de Cultura.
Acusação
O Ministério Público do Estado acusa Malheiros de repassar verba dos cofres do estado para o patrocínio de interesse particular. "O dinheiro público não é para se fazer festas", afirma o MPE no processo. O projeto de comemoração dos centenários das igrejas Assembleia de Deus foi tachado pela acusação de "restrito", "segmentado", e destinado a "pequeno número de pessoas".

"Deveras, o evento realizado era para atender o público de uma única religião. Não há qualquer finalidade pública ou cultural na comemoração de centenário. Em outras palavras, qual o proveito que o Estado de Mato Grosso ou a sociedade mato-grossense tiveram com a comemoração do Centenário das Assembleias de Deus? Nenhum. O evento não tem objetivos voltados a toda comunidade ou ao Estado, que diga-se de passagem deve ser laico", diz trecho da acusação

Outro lado


O advogado da Cormead-MT afirma que a entidade está habilitada para firmar convênio com o estado e que a assinatura respeitou os trâmites legais. Valter Evangelista disse que no mesmo ano também foram firmados convênios com outras instituições religiosas e que o evento da Assembleia de Deus teve relevância social, porque teve a participação de mais de 20 mil pessoas de fora de Cuiabá.
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização