Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Testemunhas devem depor em ação sobre fraude em incentivos fiscais

Testemunhas devem depor em ação sobre fraude em incentivos fiscais

Silval Barbosa, Marcel de Cursi e Pedro Nadaf são acusados de corrupção (Foto: G1)


Estão previstos para esta segunda-feira (18), às 13h30, os depoimentos de dez testemunhas em audiência de instrução da ação penal decorrente da operação Sodoma, que investigou supostas fraudes na concessão de benefícios fiscais em Mato Grosso. O processo criminal tramita na Sétima Vara Criminal de Cuiabá e tem seis réus, entre eles o ex-governador do estado, Silval Barbosa (PMDB), e os ex-secretários de estado, Pedro Nadaf e Marcel de Cursi. Os três últimos estão presos no Centro de Custódia da capital há quatro meses.

Um dos que deverão ser ouvidos nesta segunda-feira é o empresário João Batista Rosa, que delatou o esquema. No total, 49 testemunhas deverão ser ouvidas em cinco dias de audiências (18, 19, 20 e 29 de janeiro, e 1º de fevereiro). Os acusados no processo, que respondem por organização criminosa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro, deverão prestar depoimento à juíza Selma Rosane dos Santos Arruda, titular da Sétima Vara Criminal, no dia 1º de fevereiro.

Os réus são acusados de cometerem fraudes na concessão de benefícios fiscais do estado por meio do Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Prodeic), sendo que o chefe do esquema seria Silval Barbosa.

A operação Sodoma foi deflagrada em setembro de 2015, com cumprimento de mandados de busca e apreensão e com a prisão de Marcel de Cursi e Pedro Nadaf. Silval Barbosa se entregou dois dias após a deflagração da operação.

Na denúncia, o Ministério Público do Estado pediu à Justiça que condene os réus ao ressarcimento de R$ 2,6 milhões aos cofres públicos. O montante foi obtido por meio de propina no esquema do Prodeic, acusa o MPE.

Políticos

Entre as testemunhas que deverão prestar depoimento nas audiências de instrução e julgamento estão o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), os senadores Welington Fagundes (PR) e Blairo Maggi (PR), o deputado federal Fábio Garcia (PSB), os deputados estaduais Emanuel Pinheiro (PR) e Romoaldo Júnior (PMDB) e o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico do estado, Seneri Paludo.

Fonte: Do G1 MT

Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização