Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Tangará tem o primeiro caso confirmado de Zika Vírus

Tangará tem o primeiro caso confirmado de Zika Vírus




A informação foi repassada pela Vigilância Epidemiológica à imprensa tangaraense em coletiva na tarde desta segunda-feira (18). Participaram desta coletiva, representantes da Vigilância Epidemiológica, Sanitária, Ambiental e da Atenção Básica de Tangará da Serra.

De acordo com a enfermeira Juliana Herrero, este é o primeiro caso do município confirmado via exame laboratorial.

“Essa semana foi liberado pelo Estado o exame de uma gestante confirmando o Zika Vírus, então a partir de agora podemos afirmar que temos esse vírus circulando no município. A gente só pode afirmar uma doença se temos um resultado laboratorial, por mais que se tenha sinais e sintomas, o laboratorial é o que dá a certeza da doença e é o que tivemos agora a partir do resultado dessa gestante”, disse.

Segundo a enfermeira, do mês de dezembro de 2015 até o momento, já foram notificados 330 casos suspeitos, sendo 25 gestantes. “Desde dezembro nós tivemos vários casos suspeitos de doenças exantemáticas que até então a gente não podia afirmar que se tratava de Zika, porque não tínhamos resultado laboratorial confirmando. De todas as gestantes foi colhido o material e encaminhado para o MT Laboratório, que fez o exame do isolamento viral para dengue”.

Juliana explicou que quando o isolamento viral para dengue dá negativo, o material colhido é enviado ao Instituto Adolfo Lutz em São Paulo, que confirma ou descarta os casos de Zika. “O laboratório é de referência no Brasil e recebe exames de todas as cidades brasileiras. Esse é o primeiro confirmado, não tivemos nenhum caso anterior”.

A enfermeira disse ainda que devido ao alto número de notificações, o laboratório tem recebido apenas amostras de gestantes. “No começo, como no Brasil havia poucos casos, nós conseguíamos mandar da população em geral. Mandamos doze amostras, mas em meados de dezembro recebemos um ofício do laboratório informando que não receberiam mais amostras da população em geral, apenas de gestantes”.

Juliana ressaltou que durante o ano de 2015, Tangará da Serra registrou 560 notificações de dengue, em que 247 foram confirmadas. “ Por se tratar de uma doença nova, o diagnóstico também é diferenciado, os estudos estão sendo feitos agora. Se a gente levar os números em consideração, é realmente um grande aumento. Por isso a população tem que se alertar, tem que se preocupar. Nós não temos nenhum caso de microcefalia causado pelo Zika Vírus, não temos nenhuma gestante com suspeita do feto ter microcefalia, enquanto que municípios menores, vizinhos de nós, já têm. Então todo o cuidado nesse momento é necessário. A população tem que se atentar a limpeza dos quintais, porque infelizmente é o mesmo mosquito que traz consequências drásticas às gestantes”.

Ageu Martins, Coordenador da Vigilância Ambiental, destacou que os mutirões de limpeza nos bairros irão acontecer no município inteiro, mas é preciso que a população tome a iniciativa e cuide dos quintais. “Estamos realizando mutirões em Tangará da Serra com a limpeza nos bairros. Vamos encerrar o Setor W essa semana e possivelmente estender ao Setor N. Temos mais de 250 mil kg de lixo que já foram retirados somente no setor W, é um número elevado para o município. A gente continua trabalhando e os mutirões irão acontecer na cidade inteira. A orientação é que a população faça a limpeza de seus terrenos e use repelentes”.

Segundo a Enfermeira Juliana Herrero, das notificações de 25 gestantes, 12 são do Setor W. “Temos um número grande de notificações nesse setor e isso reflete na quantidade de lixo que está sendo retirada. A ação é conjunta. Todos os setores da saúde estão mobilizados para evitar danos maiores”.

Sintomas

“Os sintomas são muito parecidos com qualquer outra virose, mas as manchas avermelhadas no corpo são mais evidentes. Nem todos os casos têm febre, quando tem é baixa. A dor no corpo e o edema nas articulações, nem sempre são presentes. No geral, são sintomas de uma virose comum e na maioria da população não tem a gravidade que tem na gestante”, explicou Juliana.

Fonte: Aline Schwaab com Heverton Luiz - Foto: Heverton Luiz/ Rádio Pioneira

Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização