Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » PF assume investigação sobre sumiço de piloto e avião de MT

PF assume investigação sobre sumiço de piloto e avião de MT

Reverson (detalhe) está desaparecido há 36 dias; Polícia Federal está investigando o caso



O piloto Agrícola Reverson Luís Bonan, de 38 anos, que sumiu após fazer uma escala de voo em uma fazenda de Ponta Porã (MS), continua desaparecido após 36 dias. Reverson tem residência no no bairro Tijucal, em Cuiabá.

De acordo como delegado de Ponta Porã, Jarley Inácio, o dono da aeronave que Reverson estaria pilotando no dia em que desapareceu, confirmou que o avião também sumiu.

Ainda segundo delegado, o inquérito sobre o caso foi repassado, na terça-feira (19), para a Polícia Federal, que, a partir de agora, vai comandar as investigações.

De acordo como delegado da Polícia Civil de Ponta Porã, Jarley Inácio, aeronave também sumiu


“Como agora confirmamos que foi um crime a bordo de uma aeronave, não cabe mais à Polícia Civil continuar com as investigações. Repassamos o caso à PF, que vai dar sequência”, disse

A esposa do piloto, Adriana Cristina, de 36 anos, informou ao MidiaNews que, até o momento, as autoridades não deram nenhum posicionamento, informam apenas que o caso está sendo investigado.

“Ninguém me atende, não sei como estão as investigações. Não consegui mais nenhuma informação por terceiros. Espero saber agora, através da imprensa, como andam as investigações”, disse.

Entenda o caso

Reverson Luís Bonan está desaparecido desde o dia 13 de dezembro.

O último contato com a família foi justamente no dia em que ele teria sido escalado para o voo na cidade de Ponta Porã, quando contou que havia caído e trincado a costela.

“Ele conversou comigo no Whatsapp, falou que tinha caído e trincado a costela, disse que iria ao médico. No mesmo dia, às 22h, ele me disse que havia sido medicado, que o sinal estava ruim e estava sem internet, mas que estava tudo bem. Essa foi a última notícia que eu tive dele”, disse Adriana Cristina, esposa do piloto.

De acordo com Adriana, quando procurou a Polícia Federal, no dia 19 de dezembro, conseguiu a informação de que o marido estava em um plano de voo no dia em que desapareceu, porém, ele (o esposo) não a avisou sobre o voo.

“De acordo com esse plano de voo, era para ele ter pousado às 18h30min, mas ele não me falou sobre esse voo e ele havia me dito que tinha caído nesse dia, então muita coisa não está batendo nessa história, significa que quando falei com meu marido, já estavam com ele”, relatou.

Segundo o delegado Jarley Inácio de Souza, a última ligação feita pelo piloto foi de dentro do Estado de Mato Grosso.

"Ele fez uma ligação às 21h42, a partir de um DDD que dá numa cidade de Mato Grosso. Então, existe uma grande suspeita de que ele esteja em Mato Grosso, apesar de ter sido visto pela última vez em Ponta Porã no dia 13. Nesse mesmo dia, ele teve um contato de Mato Grosso. Então, possivelmente, pegou uma aeronave daqui e se deslocou pra lá", disse o delegado.

A família de Reverson está abalada. O pai acredita que nunca mais verá o filho, a mãe só chora e a esposa está inconformada.

“Nós somos só eu, ele e nosso bebê aqui em Cuiabá. O pai dele mora no Nortão e a mãe, em Goiânia. Eu me agarro na esperança de que tenha sido um sequestro”, disse Adriana.

Caso alguém tenha qualquer informação sobre o paradeiro do piloto, pode entrar em contato com a Adriana, pelo telefone (65) 8129-0914.

Fonte: JAD LARANJEIRA MídiaNews - Foto: MidiaNews/Reprodução

Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização