Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Mato Grosso é o 3º Estado com mais servidores federais expulsos

Mato Grosso é o 3º Estado com mais servidores federais expulsos

CGU aplicou punições expulsivas a oito servidores no Estado de Mato Grosso



Mato Grosso é o terceiro Estado do país em que, proporcionalmente, mais servidores federais foram expulsos nos últimos doze anos.

No total, foram 170 casos de expulsão, por conta de atividades contrárias à Lei nº 8.112/1990, que dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais. 

De acordo com levantamento da Controladoria-Geral da União (CGU), divulgado no portal do órgão nesta sexta-feira (8), no ano passado, foram oito servidores expulsos do Serviço Público Federal no Estado. Em 2014, também foram oito casos.

Atualmente, dos 578,2 mil servidores federais em todo o país, 9,3 mil estão lotados em Mato Grosso.

Assim, o Estado teve um índice de 1,83 demissão para cada grupo de 100 funcionários públicos federais.

Proporcionalmente, os estados que mais tiveram servidores expulsos em doze anos foram Amazonas (2,17% do total) e Rondônia (1,84%).

Dados nacionais

Em 2015, foram expulsos 541 servidores efetivos em todo país, sendo 447 por demissões, 53 cassações de aposentadoria e 41 destituições de cargos em comissão.

Conforme o balanço da CGU, que não inclui os servidores de empresas estatais, como Petrobras, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Correios, o principal fundamento das expulsões foi a comprovação da prática de atos relacionados à corrupção, com 332 das penalidades aplicadas ou 61,4% do total.

Já o abandono de cargo, a inassiduidade ou a acumulação ilícita de cargos são fundamentos que vêm em seguida, com 138 dos casos.

Também figuram entre as razões que mais afastaram servidores proceder de forma desidiosa e participação em gerência ou administração de sociedade privada.

Desde 2003, o Governo Federal já expulsou 5.659 servidores. Desses, 4.729 foram demitidos; 426 tiveram a aposentadoria cassada; e 504 foram afastados de suas funções comissionadas.

Nos últimos doze anos, os estados com número mais elevado de punições foram Rio de Janeiro (980) e São Paulo (600); além do Distrito Federal (705).

á as pastas com maior quantidade de estatutários expulsos foram o Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), Ministério da Educação (MEC) e Ministério da Justiça (MJ).

Impedimentos

Os servidores apenados nos termos da Lei Ficha Limpa ficam inelegíveis por oito anos. A depender do tipo de infração cometida, também podem ficar impedidos de voltar a exercer cargo público.

Em todos os casos, as condutas irregulares ficaram comprovadas após condução de Processo Administrativo Disciplinar (PAD), conforme determina a Lei nº 8.112/1990, que garantiu aos envolvidos o direito à ampla defesa e ao contraditório.

Fonte: AIRTON MARQUES MídiaNews - Foto: Agência Brasil
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização