Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Jovem presa por atropelar operário ao dirigir bêbada deixa cadeia

Jovem presa por atropelar operário ao dirigir bêbada deixa cadeia

Larissa Correia foi presa após atropelar operário em rodovia em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)


A universitária Larissa Pinheiro Correia, de 22 anos, que atropelou um operário que trabalhava na manutenção da BR-153, em Goiânia, foi solta da cadeia. Após o acidente, ela admitiu, em um vídeo, ter ingerido bebida alcoólica. A defesa dela entrou com pedido de liberdade provisória, que foi concedido pelo juiz Oscar de Oliveira Sá Neto, da 7ª Vara Criminal.

A jovem deixou a Casa de Prisão Provisória (CPP), no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na noite de sexta-feira (8). Na decisão judicial, o magistrado afirma que não há motivos para manter Larissa presa, uma vez que ela nunca respondeu a processo, possuir residência fixa e bons antecedentes. Ele explicou ainda que a prisão não pode ser usada como forma de "castigo".

A colisão ocorreu na madrugada de quinta-feira (7). Larissa, que vestia apenas calcinha e blusa, dirigia o carro que atropelou Daniel de Souza Rocha, de 23 anos. O rapaz foi socorrido e encaminhado ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), onde segue internado em estado regular.

Para que Larissa saisse da cadeia, a família da estudante teve que pagar fiança de R$ 2.960. Além disso, ela terá que cumprir algumas determinações, como não se ausentar de Goiânia por mais de 8 dias sem autorização ou se mudar de endereço sem comunicar o judiciário.

Ela também não poderá ingerir bebidas alcoólicas até que o caso seja julgado.

O G1 tentou contato por telefone com o advogado da família, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta reportagem.

Bafômetro

De acordo com a polícia, a jovem perdeu o controle da direção, atingiu cones e placas de sinalização e atropelou o funcionário. O carro só parou ao bater na traseira do caminhão da empresa.

A motorista foi submetida ao teste do bafômetro que apontou 0,35 miligramas de álcool por litro de ar expelido, comprovando a embriaguez. Porém, segundo a PRF, mesmo desnorteada, ela tentou burlar o exame.

"Ela estava tentando driblar [o exame], não expeliu a quantidade de ar necessária. Com certeza, se ela fizesse o teste correto daria uma quantidade muito maior do que essa constatada", disse o inspetor Felisberto Tavares.

Motorista atropela operário em rodovia de Goiâna (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)


Em um vídeo, gravado enquanto a jovem recebia atendimento médico, um policial perguntou se ela havia bebido. A estudante, que estava vestida apenas com calcinha e blusa, respondeu: “Bebi é claro!"

Em seguida, ao ser questionada sobre o período em que esteve bebendo, a jovem disse: “Desde às 23h [de quarta-feira (6)]”. Ela também informou que havia saído de uma boate e perguntou ao agente que horas eram. “Três horas da manhã”, respondeu ele.

Investigação

Após receber atendimento médico, a jovem foi presa em flagrante e levada para a Delegacia Especializada em Investigação de Crimes de Trânsito de Goiânia (Dict). Depois de prestar depoimento, foi conduzida a uma cela feminina do 14º Distrito Policial de Goiânia, onde esteve detida até o final da manhã de sexta-feira (8).

De acordo com a delegada Adriana Carvalho, Larissa será autuada por tentativa de homicídio. “Ela deve responder por esse crime devido à gravidade da conduta que ela adotou. Isso a partir do momento em que ela saiu dirigindo embriagada e se deparou com a situação como a que estava na rodovia, que era um trecho de obras longo, bem sinalizado, mas que ela não respeitou nenhuma sinalização”, afirmou.

A delegada afirmou que, em função da tipificação do crime, não caberia fiança e a jovem ficaria detida até que a Justiça analise o caso. “A autoridade policial não pode arbitrar essa fiança, já que foi optado pelo crime de tentativa de homicídio. Sendo assim, só o Poder Judiciário poderá decidir se ela deve ter direito à liberdade ou deve permanecer presa preventivamente, assim como definir o tempo da pena, caso ela seja condenada”, destacou.

Jovem saiu do 14º Distrito Policial de Goiânia na sexta-feira (8) (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Fonte: Sílvio Túlio Do G1 GO


Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização