Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » 'Ele pediu para o policial não atirar', diz mãe de ex-jogador morto no ABC

'Ele pediu para o policial não atirar', diz mãe de ex-jogador morto no ABC

Ex-jogador Toni e a mãe, Nelly Freire da Silva (Foto: Arquivo Pessoal)


A mãe do ex-jogador de futebol morto na última quarta-feira (13) após ser baleado em uma perseguição policial em Santo André, no ABC, contou que José Erlandio Freires Alves, conhecido como Toni, se identificou como pai de família e pediu para o policial não atirar.

“Viram ele pedindo que o policial não atirasse, que pensasse duas vezes, que era pai de família. O problema é que ninguém quer se comprometer em depoimentos. O certo seria esse assassino olhar os documentos, revistá-lo e puxar sua ficha antes de atirar”, disse Nelly Freire da Silva, que trabalha em uma empresa de segurança.

Nelly disse ainda que a cena do crime provavelmente foi modificada, já que encontraram seu filho com mochila e capacete, e ele não possuía nenhum dos dois itens.

O crime ocorreu quando Toni caminhava para o trabalho em um almoxarifado por volta das 5h30. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, tiros disparados por um PM contra um suspeito o atingiram. Policiais perseguiam dois suspeitos de roubo na mesma região e um dos suspeitos também morreu.

Cearense, Toni jogou futebol profissionalmente na juventude no time Operário Futebol Clube, do Mato Grosso, em Israel e no Uruguai. Familiares contam que ele "escolheu a família e abandonou o futebol"

Tinha quatro filhos, Matheus, de 14 anos, Diogo, de 11, Juliano, de 8, e Bianca, de 1 ano e dois meses. “Foi um ótimo pai, honesto, nunca fez mal para ninguém. No velório, todos falaram bem dele”, disse Matheus. “Estou triste. A polícia tinha que nos proteger, não tirar meu pai de mim”.

Nelly disse que, além de ótimo pai, o filho dava toda a assistência para a família, que se vê unida, mas desamparada neste momento. “As crianças não estão nada bem, e, além disso, a renda na casa era dele. A esposa não pode trabalhar com filha pequena. Da Justiça não vem nada. Ninguém vem perguntar se precisamos de algo”, desabafa.

“Meu filho confiava muito em mim. Pediu que eu tomasse conta dos filhos, se algo lhe acontecesse um dia. Esse assassino arrancou um pedacinho de mim”.

O PM Eduardo Pontes de Lima, que efetuou os disparos, foi preso em flagrante e levado ao presídio Romão Gomes. O caso será investigado.

Nota da Secretaria de Segurança Pública

"O PM Eduardo Pontes de Lima efetuou disparos contra o assaltante Victor Hugo de Carvalho Silva Dias que atingiram o morador José Erlanio Freires Alves. O Setor de Homicídios de Santo André analisou as imagens de câmeras de segurança do entorno, que mostram que o morador estava seguindo pela mesma calçada em que um dos criminosos foge, no sentido contrário. O PM alega que não viu a vítima no momento que efetuava os disparos. Para apurar melhor os fatos, o PM foi preso em flagrante e levado ao presídio Romão Gomes. Com relação à morte dos assaltantes, o delegado entendeu, num primeiro momento, que os policiais agiram em legítima defesa. O caso será investigado."

Fonte: Vivian Reis Do G1 São Paulo

Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização