Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Demitido servidor que facilitou entrada de drogas em cadeia; mantida exclusão de outros dois

Demitido servidor que facilitou entrada de drogas em cadeia; mantida exclusão de outros dois



O governador Pedro Taques (PSDB) assinou na quinta-feira (14), no Diário Oficial, a demissão do serviço público de Valderson Wilson Guimarães, acusado de facilitar a entrada de drogas na Penitenciária Central do Estado (PCE) em troca de “vantagens indevidas”. Ele também assinou a manutenção das demissões de Jamim Benedito de Arruda e Humberto Victor de Matos. Humberto teve o nome evolvido na “Operação Termes”, deflagrada pela Polícia Federal em 2008.

No texto, que circulou nesta sexta-feira (15), fica ressaltado que a entrada de drogas e eletrônicos é um dos maiores problemas do sistema prisional, sendo essa uma das justificativas para a demissão de Valderson. “A entrada de celulares e outros aparelhos similares nos estabelecimentos penais brasileiros, assim como de substâncias entorpecentes, são os mais graves e complexos problemas que desafiam a Administração Penitenciária em todos os Estados, principalmente pelas consequências maléficas que resultam desse ingresso, perpetuando a prática de delitos”, consta de trecho da publicação.

Quanto ao caso de Humberto, a publicação se resumiu a rebater as argumentações do ex-servidor para tentar anular a demissão. Ele foi excluído do serviço púbico de Mato Grosso em fevereiro de 2015, ao fim do processo administrativo que durou quase sete anos.

O ex-servidor era fiscal do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) e supostamente fazia parte de uma quadrilha especializada no transporte e venda de madeira ilegal. Humberto chegou a ser preso preventivamente sob a acusação de ter recebido propina para liberar cargas irregulares.

Fonte: Jardel P. Arruda Olhar Direto - Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização