Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Corpo de menino esquecido por delegado em carro é enterrado

Corpo de menino esquecido por delegado em carro é enterrado

Menino morreu após ser esquecido dentro do carro em Cuiabá. (Foto: Reprodução/Facebook)


Foi sepultado, no final da tarde desta quarta-feira (27), o corpo do filho de 2 anos do delegado Geraldo Gezoni Filho, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que morreu na terça-feira (26) após ser esquecido pelo pai dentro do carro, em Cuiabá. O enterro ocorreu no Cemitério Parque Bom Jesus de Cuiabá.

O menino, que se chamava Frederico, passou cerca de cinco horas no banco de trás de um carro fechado. Segundo o laudo o Instituto de Medicina Legal (IML), a causa da morte foi asfixia por confinamento.

O caso será investigado pela Delegacia Especializada de defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica). O diretor-geral da Polícia Civil, Adriano Peralta, afirmou que o caso foi uma “falha humana”, uma vez que Gezoni recebeu um chamado da delegacia no momento em que levava o filho para a escolinha e acabou se dirigindo para a delegacia e esqueceu o filho, que dormia no banco de trás do veículo.

Na opinião de Peralta, ainda que o caso seja investigado, nesse caso pode ser instituído o perdão judicial ao pai. "Nenhum juiz do mundo pode dar uma pena maior do que esse sofrimento da família. Não existe pena maior do que essa", declarou.

Orientações

Segundo a psicóloga Beatriz Bruehmueller, tragédias como a que ocorreu com a família de Frederico podem ocorrer porque os adultos acumulam pressões e funções no dia a dia que os deixam vivendo em uma espécie de rotina automática.

“Nós estamos em um estado de ausência. Nós não estamos presente no aqui e agora, ou s eja, não estamos em um estado de atenção para aquilo que estamos fazendo”, disse.

Para evitar passar por situações como essa, especialistas indicam aos pais deixarem sempre uma música infantil no som do carro, deixar os pertences da criança – como brinquedos e mochilinhas – no banco da frente, ajustar o retrovisor para sempre avistar a cadeirinha e colocar, ao lado da criança, seus pertences pessoais, como celulares e bolsas, a fim de diminuírem as chances de esquecimento.

Fonte: Do G1 MT

Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização