Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Ataque a bancos e caixas eletrônicos de MT aumentou 23%, diz sindicato

Ataque a bancos e caixas eletrônicos de MT aumentou 23%, diz sindicato

Ataque a bancos e caixas eletrônicos de MT aumentou 23% em 2015, diz sindicato (Foto: Reprodução/TVCA)


O número de ataques a bancos e caixas eletrônicos em cidades de Mato Grosso aumentou 23% em 2015, se for comparado ao ano de 2014. É o que aponta um levantamento de ocorrências do Sindicato dos Bancários de Mato Grosso (SEEB/MT), divulgado nesta quarta-feira (20).

De acordo com os dados do sindicato, em 2014, foram registradas 68 ocorrências em terminais de autoatendimento e agências bancárias mato-grossenses. Em 2015, foram registrados 32 ataques a bancos e 53 ataques a terminais eletrônicos, num total de 85 casos. Os ataques ocorreram em Cuiabá e em outras 19 cidades do estado. O número de ocorrências aumentou de 68 para 85, chegando a um crescimento de 23%, conforme o SEEB/MT.

O presidente do sindicato, José Maria Guerra, avalia que as ocorrências afetam tanto os funcionários das agências quanto os próprios clientes. “Nós estamos cobrando dos bancos [que tenham] portas de segurança, vidros blindados, câmeras de segurança na frente, biombos. Uma série de itens [de segurança]”, afirmou.

Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) informou que as instituições investem em segurança com equipamentos de alta tecnologia e que dificultam o acesso as senhas e caixas. “Tivemos esse aumento de 23%. Querendo ou não isso é um aumento na criminalidade. Tivemos ataques a banco em que trabalhadores correram risco de vida, assim como a população”, alertou.

O presidente avaliou que existe uma facilidade da ação dos criminosos. Por isso, o sindicato pede maiores investimentos nas agências. Além disso, o trauma psicológico que os funcionários passam também é uma das preocupações da categoria, já que muitos acabam se afastando do serviço por conta do que passaram nesses assaltos.

“Temos uma parcela da categoria que está adoecida, porque esse problema psicológico chega uma hora ou outra”, lamentou.

Todos os casos são investigados pela Polícia Civil. O novo comandante-geral da Polícia Militar, coronel Gley Alves de Castro, declarou nesta semana que ampliará o policiamento nas ruas de Cuiabá e Várzea Grande, além das cidades no interior de Mato Grosso.

Fonte: Do G1 MT

Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização