Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Pedido contra Cunha expõe cobranças a empreiteiras, ameaças e uso da CPI

Pedido contra Cunha expõe cobranças a empreiteiras, ameaças e uso da CPI

A ação possui várias transcrições de mensagens de texto do celular de Eduardo Cunha que detalham tratativas com os empresários Léo Pinheiro, da OAS, e Otávio Azevedo, da Andrade Gutierrez



O repórter Jovem Pan Tiago Muniz teve acesso ao inteiro teor da ação colocada por Rodrigo Janot contra Eduardo Cunha. Confira os principais pontos do material.

Procurador-Geral da República pede afastamento de Eduardo Cunha não apenas da presidência da Câmara, mas também do cargo de deputado federal. A reportagem teve acesso a íntegra da medida cautelar colocada contra Cunha assinada por Rodrigo Janot e que tem o ministro Teori Zavascki como relator.

O site da Procuradoria-Geral da República chegou a disponibilizar a íntegra do documento por alguns minutos no ar, mas depois o retirou; neste curto período de tempo, a Jovem Pan obteve o inteiro teor da medida cautelar.

O documento diz nos trechos iniciais que o presidente da Câmara "tem adotado há muito posicionamentos absolutamente incompatíveis com o processo legal". E que ele se vale da prerrogativa do cargo para se autoproteger por meio "de ações espúrias para evitar a apuração" das condutas dele na esfera penal e política.

O pedido da PGR lista 11 atos do deputado que "visaram embaraçar e impedir a investigação de organização criminosa". Entre eles estão requerimentos ao Grupo Mitsui e ao empresário Júlio Camargo para que este retomasse pagamentos de propinas a Eduardo Cunha.

Contatos suspeitos

A procuradoria também afirma que o presidente da Câmara teria cobrado valores para apresentar projetos de lei de interesse das empreiteiras que eram de interesse das próprias empreiteiras.

A ação possui várias transcrições de mensagens de texto do celular de Eduardo Cunha que detalham tratativas com os empresários Léo Pinheiro, da OAS, e Otávio Azevedo, da Andrade Gutierrez.

Ameaças e CPI

Também estão entre estes atos a convocação da advogada Beatriz Catta Preta para falar em CPI e a utilização da Comissão Parlamentar que investiga desvios na Petrobras para pressionar o Grupo Schahin.

O documento lista também ameaças sofridas pelo ex-relator do Conselho de Ética Fausto Pinato como fator no processo.

Janot não liga essas ameaças diretamente a Eduardo Cunha, mas destaca que nas buscas desta terça-feira na casa do presidente da Câmara, a Polícia Federal apreendeu cópias de boletins de ocorrência relativos a Fausto Pinato no bolso do paletó de Cunha.

Esses boletins se referem a ameaça sofrida por Pinato e também a um outro caso de contravenção penal de vias de fato, uma briga. Rodrigo Janot usa o termo "inaudita altera pars", expressão em latim que designa a possibilidade de medidas liminares serem concedidas sem ouvir a outra parte.

O procurador justifica o pedido da seguinte maneira:

"Caso o contraditório seja exercitado previamente, neste período em que continuar no cargo, o EDUARDO CUNHA não tardará em realizar manobras e condutas, ainda mais agressivas, ainda que por intermédio de outros Deputados, com o intuito de prejudicar não apenas o andamento de seu processo no Conselho de Ética, mas também para atingir todos aqueles que possam vir a colocar-se contra ele. "

O caso vai ter que ser analisado pelo plenário do STF, pelo cargo de presidente da Câmara, só que pode haver pouco tempo neste ano para isso. Nesta quinta-feira, o Supremo ainda deve estar ocupado analisando a questão do rito de impeachment, e a sexta-feira é o último dia antes do recesso judiciário.

Fonte: Jovem Pan - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização