Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » "Bebi cerveja", diz motorista que invadiu casa e matou adolescentes

"Bebi cerveja", diz motorista que invadiu casa e matou adolescentes

Marlene Pinheiro Prata e Mayra Prata de Figueredo morreram após serem atropeladas (Foto: Arquivo Pessoal)


O motorista que invadiu uma casa e matou duas adolescentes atropeladas em Nobres, a 151 km de Cuiabá, confessou à Polícia Civil ter ingerido bebida alcoólica. O acidente ocorreu por volta das 18h de domingo (20). À polícia, Leonardo Santos Queiróz, de 29 anos, afirmou ter perdido o controle do carro ao tentar fazer uma ultrapassagem.

“Eu tinha bebido umas seis garrafas de cerveja. Fui fazer uma ultrapassagem, na pressa de ir para casa. Foi por um acaso mesmo. Estou arrependido, porque não foi intencional. Nunca fiz mal para ninguém”, disse.

No acidente, além de causar a morte das irmãs Mayra Prata de Figueiredo, de 15 anos, e Marlene Pinheiro Prata, de 13, o motorista também atingiu outras cinco pessoas, entre elas um bebê de 11 meses. A residência atingida pelo motorista ficou destruída. Segundo o delegado Caio Fernando Álvaro de Albuquerque, responsável pelo caso, Leonardo admitiu que estava bebendo desde 12h e apresentava sinais claros de embriaguez.

“Os sinais de embriaguez foram detectados tanto pela Polícia Militar e pela Polícia Civil, como os olhos avermelhados e o odor. Além disso, há relatos de que [após a batida] ele saiu do carro cambaleando e caiu. E o exame também confirmou o estado de embriaguez”, afirmou.

A Polícia Civil também trabalha com a teoria de que o motorista estaria, no momento do acidente, praticando um racha com motociclistas na região, vertente que foi confirmada por testemunhas. “O condutor estava em altíssima velocidade e apostando racha com outros motoristas. […] Ele nega o racha, mas a versão cai por terra diante do relato das testemunhas”, relatou o delegado.

O auxiliar-geral Benedito de Souza, de 33 anos, que seguia para casa de bicicleta, é uma das testemunhas do caso. Ele afirmou que viu quando a moto deixou o carro para trás e que ambos estavam correndo bastante. Após a colisão, segundo o auxiliar, Leonardo tentou dar partida no carro, sem sucesso.

“A gente fica revoltado porque poderia ser o meu filho. É de doer o coração uma coisa dessas”, afirmou.

Vítimas

Uma das atingidas no acidente é Sandra Regina da Silva, 42, que foi transferida do Hospital Municipal de Nobres para o Pronto-Socorro de Cuiabá nesta segunda-feira (21). Ela teve o joelho machucado e encontra-se à espera de um quarto no hospital. “Por enquanto, estou em uma maca no corredor. Meu joelho ficou totalmente estourado, estou com uma tala e tomando remédios. Minha perna está imobilizada e não posso andar”, afirmou.

Ao G1, Sandra afirmou que o bebê de 11 meses, que estava no colo de uma das adolescentes mortas no momento do acidente, já recebeu alta do hospital, em Nobres. “O bebê estava no colo da Marlene, que só teve tempo de lançar a criança para o lado para impedir que ele fosse atingido. Eu também tentei correr ao ver o carro em alta velocidade, mas não deu tempo”, relatou.

Segundo Sandra, a mãe das adolescentes, identificada pela polícia como Durcilene Pinheiro Prata, de 32 anos, o bebê de 11 meses e um rapaz chamado Ginoel Luz, que seria namorado de Mayra, também foram atingidos, mas sofreram escoriações de menor gravidade e foram liberados para acompanhar o velórios das duas irmãs. Juenildo Souza Santana, de 19 anos, namorado de Marlene, sofreu fratura exposta e seria transferido de Nobres para o Pronto-Socorro de Cuiabá.

Prisão

Leonardo Santos Queiróz foi autuado em flagrante e, segundo o delegado Caio Albuquerque, deverá responder por dois homicídios e cinco lesões corporais graves. “Nesse caso, ao meu ver, não incide os crimes do Código de Trânsito Brasileiro, mas sim do Código Penal, inclusive com chance de o caso ser levado a Júri Popular”, afirmou.

De acordo com o delegado, não foi arbitrada fiança e o motorista continua preso. Ele iria passar por exame de corpo de delito para, em seguida, ser transferido para a Cadeia Pública de Nobres.

Fonte: Lislaine dos Anjos Do G1 MT

Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização