Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Taques afirma que não há como Executivo continuar pagando inativos da AL

Taques afirma que não há como Executivo continuar pagando inativos da AL




O governador José Pedro Taques (PSDB) aguarda uma resposta do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Guilherme Maluf (PSDB), sobre a proposta de transferir o pagamento dos servidores inativos do Poder Legislativo, hoje pagos pelo Executivo. “Não é razoável que o Executivo continue pagando os inativos da Assembleia. Isso ao meu juízo deve acabar em 2016”, argumentou ele, nesta quarta-feira (4), após reunião para discutir a questão da fronteira, com comandantes do Exército.

Pedro Taques entende que a responsabilidade deve ser dividida: cada poder honrar o pagamento dos seus inativos, ao custo anual superior a R$ 70 milhões. “Cada um no seu quadrado. É essencial cada poder gastar com os seus inativos. Eu disse ontem [terça-feira, 3] ao presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso: a partir de 2016, temos que mudar essa realidade, que não se figura correta diante do quadro orçamentário que Mato Grosso apresenta”, pontuou o chefe do Poder Executivo, para a reportagem do Olhar Direto.

No futuro, todos os poderes estarão vinculados à Previdência de Mato Grosso (MT Prev). “Até que o MT Prev seja capitalizado, cada qual cuida dos seus. O que não pode é o Executivo continuar a pagar os inativos da Assembleia. Foi uma solicitação nossa para que o Executivo de Mato Grosso pague os seus inativos e a Assembleia cuide dos dela”, ratificou Taques.

“Como isso vai ser feito, aguardamos resposta do deputado Guilherme Maluf, que ficou de me trazer uma proposta da Assembleia”, citou o governador.

Pedro Taques discutiu o tema com o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), consleheiro Waldir Júlio Teis. “Tivemos essa conversa com presidente de Waldir Teis a respeito deste tema. Temos que entender que o Executivo se encontra numa situação orçamentária nada agradável, porque todos nós sabemos como encontramos o Estado, com déficit de R$ 1,7 bilhão”, lembrou ele.

“E precisamos tocar neste tema, sem possibilidade de que as relações do Executivo com o Legislativo possam sofrer abalos, porque faz parte do que determina a Constituição da República”, emendou o governador.

Diante da insistência da reportagem do Olhar Direto, o chefe do Poder Executivo tratou de esclarecer de forma objetiva o que tratou com Waldir Teis. “Eu disse: conversei com presidente do TCE há algum tempo sobre esse tema. E estamos analisando conjuntamente. Nós, do Poder Executivo, não vamos fazer o rompimento de uma forma sem que a Assembleia Legislativa e o TCE possam se adaptar a esta realidade. Estamos conversando para que isso seja resolvido da melhor forma possível”, completou Taques.

Fonte: Laíse Lucatelli / Da Redação Ronaldo Pacheco Olhar Direto - Foto: Maria Anffe / GCom-MT
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização