Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Quadrilha suspeita de fraude bilionária é alvo de ação da PF

Quadrilha suspeita de fraude bilionária é alvo de ação da PF




A Polícia Federal faz uma ação nesta quinta-feira (5) para combater o mercado clandestino de cigarros em sete estados do país. As investigações apontam prejuízo de mais de R$ 2 bilhões aos cofres da União, referentes a tributos não recolhidos.

Os agentes cumprem sete mandados de prisão, sete de condução coercitiva e 50 de busca, além da sequestro de 59 imóveis, 47 veículos e contas bancárias.

A operação é feita em pareceria com a Receita Federal e a Procuradoria da Fazenda Nacional. Os mandados são cumpridos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Pará.

Mais de 200 policiais federais, 90 servidores da Receita Federal e 4 procuradores da Fazenda Nacional participam da operação.

Outras infrações

As investigações começaram em setembro de 2014, com foco no contrabando de cigarros. Porém, foi descoberto que o esquema era bem maior.

Segundo a PF, as infrações abrangem associação criminal, receptação, falsificação de documentos, sonegação fiscal, exportação irregular de fumo, contrabando de cigarros, adulteração de produtos entregues a consumo e pirataria de marcas registradas.

A PF apurou que os investigados utilizavam empresas de fachada e laranjas para desviar tabaco da cadeia econômico-tributária. Parte desse fumo era fornecido para fábricas no Paraguai através de exportação irregular e retornava ao Brasil como cigarro industrializado contrabandeado. O restante seguia para fábricas clandestinas de cigarros em São Paulo e no Rio de Janeiro.

O pagamento pelo fumo processado, conforme apontou a investigação, era realizado com o produto contrabandeado ou pirateado e em automóveis de luxo, máquinas urbanas (retro-escavadeiras e moto-niveladoras) ou agrícolas (colheitadeiras e tratores). A organização criminal ainda se encarregava de revender os cigarros e os veículos na região ou mesmo fora do estado.

Ao todo, estima-se em R$ 2,1 bilhões o total de dívidas dos investigados com a União, além de uma expectativa de novos lançamentos no valor de R$ 217 milhões.

Em razão do que foi descoberto, a PF ajuizou na 1ª Vara Federal de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, três medidas cautelares fiscais contra 19 pessoas jurídicas e 17 pessoas físicas. Paralelamente, a PF representou por diversas medidas penais, incluindo prisões e buscas para apreensão de documentos, computadores, fumo desviado, máquinas industriais usadas na produção clandestina, arrecadação de dinheiro, cheques, ouro e pedras preciosas.

Uma entrevista coletiva marcada para as 14h desta quinta-feira (5), em Santa Cruz do Sul, detalhará melhor a investigação e as ações realizadas nesta manhã.

Fonte: Do G1 RS - Foto: Reprodução

Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização