Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Piracema começa nos rios das bacias Amazônica e Paraguai

Piracema começa nos rios das bacias Amazônica e Paraguai

Pesca fica restrita nos rios de Mato Grosso; imagem mostra o Rio Paraguai em Cáceres (Foto: Anecy de Pinho/Politec-MT)


O período de proibição da pesca nos rios de Mato Grosso que fazem parte da bacia Amazônica-Paraguai começou nesta quinta-feira (5) e deve ser liberado somente no dia 29 de fevereiro de 2016. Nos rios da bacia do Araguaia-Tocantins a piracema começou no último domingo (1º).

Segundo a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), quem desrespeitar o período proibitivo poderá ter o pescado e os equipamentos de pesca apreendidos e levar multa que pode variar de R$ 1 mil a R$ 100 mil, com acréscimo de R$ 20 por quilo de peixe encontrado.

As bacias Amazônica e Paraguai incluem rios importantes do estado, como o Teles Pires, e o Paraguai, que engloba o Pantanal mato-grossense. Nos dois tipos de restrição a modalidade pesque e solte ou pesca por amadores também está proibida.

''Toda atividade de pesca nos rios é proibida, a exceção somente para a pescar de subsistência por pescadores ribeirinhos e comunidades tradicionais. Para esse tipo de pescar somente é habilitado a pesca de barranco com linha de mão e assim também somente a retirada de três quilos de pescado”, explicou Fagner Nascimento, superintendente de fiscalização da Sema.

Pesca é permitida apenas para subsistência (Foto: Reprodução/ TVCA)


A cota diária por pescador é de 3 kg ou um exemplar de qualquer peso, respeitado os tamanhos mínimos de captura de cada espécie.

“A orientação é que todo empreendimento que trabalha com recursos pesqueiros provenientes de rios faça a declaração do estoque até o dia 9 de novembro. Após esse período a fiscalização irá vistoriar os estoques de pescado verificando se a quantidade corresponde com a que foi declarada, assim como se existe algum indício de irregularidade”, detalhou o superintendente.

Os restaurantes e demais estabelecimentos que comercializam peixe devem informar a Sema o tamanho dos estoques in natura, resfriados ou congelados, excluindo os peixes de água salgada.

Fonte: Do G1 MT
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização