Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Jornalista Sandra Moreyra morre aos 61 anos

Jornalista Sandra Moreyra morre aos 61 anos



Sandra Moreyra lutava contra o câncer



A jornalista Sandra Moreyra, 61 anos, morreu nesta terça-feira (10) vítima de câncer - o terceiro diagnóstico da doença que a experiente repórter da Globo recebeu nos últimos sete anos. Ela estava internada no Hospital Samaritano, no Rio. O velório será realizado nesta quarta, no Memorial do Carmo, mesmo local da cremação, também no Rio.

Em entrevista ao UOL há menos de um mês, a jornalista falou sobre o novo câncer e contou que ainda não sabia como seria o novo tratamento, mas que estava confiante de que conseguiria vencer o câncer pela terceira vez: "Vou fazer e acredito que vou conseguir superar mais essa, com ajuda da família, marido, filhos e dos amigos".

O novo câncer foi diagnosticado no mediastino, região do tórax próxima dos dois anteriores, localizados no esôfago. Sandra enfrentou a doença em 2008 e 2014. Fez duas cirurgias complexas e, no último tratamento, precisou de doações de sangue e ficou com uma das cordas vocais paralisada.

Carreira

Sandra Moreyra nasceu no Rio de Janeiro, em 28 de agosto de 1954. Era filha do renomado cronista esportivo Sandro Moreyra e da professora Lea de Barros Pinto, além de neta do escritor Álvaro Moreyra, membro da Academia Brasileira de Letras e diretor de importantes revistas nos anos 1950.

A jornalista começou a carreira em 1975, como estagiária no departamento de Pesquisa do Jornal do Brasil. Após concluir a faculdade, no ano seguinte, foi contratada. Em 1978, estreou na publicação como repórter.

Depois de uma temporada fora do Brasil ao lado do marido, engenheiro, retornou ao país onde trabalhou em uma agência de publicidade e, em seguida, iniciou sua trajetória na TV. Trabalhou na TV Aratu, na época afiliada da Globo na Bahia, Band e Manchete, até ser contratada pela Globo de Minas Gerais.

A jornalista ganhou destaque na cobertura da eleição e morte de Tancredo Neves (1910-1985). Sandra apareceu no "Jornal Nacional" acompanhando o cortejo fúnebre. Em 1986, a jornalista foi para a Globo do Rio de Janeiro.

Sandra também participou de outras coberturas jornalísticas de importantes momentos do país como o Plano Cruzado, o acidente radioativo com Césio 137, em Goiânia, a tragédia do iate Bateau Mouche, no Réveillon de 1989, a Rio-92, a chacina de Vigário Geral e a ocupação do Complexo do Alemão.

Reprodução/TV Globo
Na Globo desde 1984, Sandra Moreyra voltou a trabalhar na emissora em setembro de 2014, colaborando em roteiros e projetos especiais, mas sem aparecer na TV.



Ultimamente, era produtora e repórter da série "Cariocas Olímpicos", exibida aos sábados no telejornal local "RJTV 1ª Edição", em que entrevistava atletas nascidos no Rio de Janeiro, como um aquecimento para os Jogos Olímpicos de 2016. Sua última reportagem foi ao ar no dia 7 de novembro.

Fonte: Do UOL, em São Paulo - Foto: AgNews
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização