Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Garimpeiro que trocou ouro por droga na Bolívia tem prisão decretada

Garimpeiro que trocou ouro por droga na Bolívia tem prisão decretada

A Justiça Federal decretou a prisão preventiva de um garimpeiro que usou outo extraído ilegalmente da Serra da Borda, em Pontes e Lacerda, a 483 km de Cuiabá. O suspeito foi preso em flagrante por policiais do Grupo Especializado de Fronteira (Gefron) quando levava 5,3 kg de cocaína adquiridos na Bolívia para a região do garimpo, a fim de vender o entorpecente em troca de ouro. A prisão ocorreu na região do Destacamento de Palmarito.

A decisão é do dia 1º de novembro e é assinada pelo juiz Francisco Antônio de Moura Júnior. Em depoimento à polícia, o suspeito afirmou que havia adquirido a droga em uma fazenda localizada próximo da fronteira, há uma semana, dando em troca 300 gramas de ouro que havia conseguido extrair durante 10 dias de trabalho no garimpo ilegal. Segundo o acusado, a intenção era vender a droga na Serra da Borda.

“Afirmou, ainda, o conduzido, que venderia a droga no garimpo, pelo preço de 250 gramas de ouro pelo quilo do entorpecente”, diz trecho da decisão.

O juiz ressaltou que a conversão da prisão em flagrante em preventiva é necessária para garantir a ordem pública e a aplicação da pena prevista em lei. Conforme o juiz, o suspeito já possui passagem na polícia por tráfico de entorpecentes e foi detido pelo Gefron em uma estrada vicinal, o que significa que ele conhece bem a região e as formas de acesso ao país vizinho, sendo alto o risco de fuga.

Movimento em garimpo começou há três meses (Foto: Júlio Cesar Ferreira de Souza/ Arquivo pessoal)


“A expressiva quantidade de drogas apreendida, bem como a desenvoltura do criminoso, revela que tal evento pode não se tratar de fato isolado, máxime pela informação conferida pelo próprio conduzido, de que já fora preso, anteriormente, pela prática de tráfico de drogas”, afirmou o magistrado.

Garimpo ilegal

Há 19 dias, a Justiça Federal determinou o fechamento do garimpo por funcionar sem a permissão do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Na decisão, assinada também pelo juiz Francisco Antônio de Moura Júnior, o garimpo foi declarado ilegal e foi determinada a apreensão de todo o minério extraído ilegalmente e a retirada de todos os trabalhadores do local, inclusive com o uso de força policial, se fosse preciso.

O garimpo na Serra da Borda começou a ser explorado há mais de dois meses e, nesse período, chegou a ter pico de sete mil pessoas na área, entre garimpeiros profissionais e ocasionais, tentando retirar o ouro. Atualmente, segundo estimativa da Polícia Federal, há cerca de 500 pessoas ainda no local.

A Polícia Federal informou que já definiu estratégias para a desocupação do garimpo. No entanto, o dia da operação será mantido em sigilo, segundo a PF, para que as prisões daqueles que insistem em descumprir a ordem da justiça sejam presos.

Fonte: Lislaine dos Anjos Do G1 MT

Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização