Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Polícia Federal prende homens com R$ 460 mil em garimpo ilegal

Polícia Federal prende homens com R$ 460 mil em garimpo ilegal




A Polícia Federal (PF) prendeu na tarde desta sexta-feira (23) mais quatro homens suspeitos de exploração ilegal do garimpo da Serra da Borda, localizado na região do município de Pontes e Lacerda, a 483 km de Cuiabá. Eles foram presos em posse de R$ 460 mil, dinheiro que teria relação com comercialização e extração ilegal de ouro encontrado na jazida. Os quatro deverão responder por crime ambiental e crime contra a ordem econômica, segundo o delegado Jesse James de Freitas.

O garimpo na Serra da Borda passou a ser explorado há aproximadamente dois meses, mas aJustiça Federal determinou o fim da extração de ouro no local na última segunda-feira (19)por não existir a devida autorização do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Segundo a Justiça, a área deve ser evacuada, inclusive com uso de força policial, caso preciso.

O prazo dado pela polícia para que todos deixassem a área expirou na quarta-feira (21). Agora, os governos estadual e federal planejam uma operação para a retirada dos garimpeiros, mas acessos à região já foram fechados por policiais, resultando na diminuição significativa do número de garimpeiros na serra.

Ao todo, seis pessoas já foram presas no garimpo ilegal (Foto: Reprodução / TVCA)


Contando com os quatro presos na tarde desta sexta-feira, até o momento a PF prendeu seis pessoas na região. Na quinta-feira (22), um homem foi preso com 33 gramas de ouro e encaminhado para a Cadeia Pública de Cáceres, a 250 km da capital. Já na manhã desta sexta-feira, um outro homem foi detido com sete gramas de ouro. Ele foi encaminhado para o Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc) de Pontes e Lacerda.

A PF e a Polícia Rodoviária Federal têm feito patrulhas na região para monitorar o movimento de pessoas e inibir a entrada no garimpo, bem como para instruir os garimpeiros já presentes a desocuparem a área voluntariamente. Entretanto, ainda há registro da chegada de pessoas à região da Serra da Borda. Nesta sexta-feira, cinco pessoas do estado do Amazonas desembarcaram no local e mais dois grupos daquele estado também são esperados.

Enquanto isso, os governos federal e estadual estão preparando uma operação de retirada do contingente de garimpeiros, estimado nesta sexta-feira entre 350 e mil pessoas. O governadorPedro Taques (PSDB) solicitou ao governo federal a presença da Força Nacional de Segurança. Ainda não há confirmação da chegada dos militares nem uma data para o início da operação. O estado deverá atuar na operação com suporte à ação federal e também devido aos desdobramentos da situação nos aspectos de segurança pública, ambiental e social.

Garimpeiros ainda insistem em chegar à região da Serra da Borda (Foto: Reprodução / TVCA)


Exploração regularizada

Em reunião realizada na quarta-feira (21) entre garimpeiros e o prefeito de Pontes e Lacerda, Donizete Barbosa (PSDB), foi solicitada a implantação de algum modelo - como uma cooperativa - para a exploração regularizada do ouro na Serra da Borda.

Uma comissão especial foi formada pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) para averiguar a situação do garimpo in loco nos próximos 120 dias e estudar a viabilidade da autorização e/ou concessão, por parte da União Federal, para exploração das jazidas auríferas no garimpo. Paralelamente, o prefeito já está em conversação com o DNPM a respeito da licença de exploração aurífera na região.

Fonte: Do G1 MT
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização