Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Associação de MT representará Brasil na Aliança Mundial de Carne

Associação de MT representará Brasil na Aliança Mundial de Carne

Francisco Manzi e Olmir Cividini da Acrimat, Márcio Caparroz da Assocon em reunião da FNBA (Foto: Assessoria/Acrimat)



O grupo mundial das cinco maiores nações produtores de carne anunciou a inclusão do Brasil como novo membro nesta quinta-feira (22), durante a Conferência anual da Five Nation Beef Alliance (FNBA), em Mazatlán, no México. O Paraguai também foi outro representante da América do Sul incluído. A Aliança passa a ser composta por Canadá, México, Estados Unidos, Nova Zelândia, Austrália, Brasil e Paraguai, que juntos representam 50% da produção e 75% das exportações mundiais de carne bovina.

A FNBA atua estrategicamente nas negociações entre países e na eliminação de barreiras comerciais meramente políticas e que não tenham cunho científico.

Atuando como membro observador desde 2014, a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) será a representante do Brasil na Aliança. Uma das ações estratégicas da associação foi o convite à Associação Nacional dos Confinadores (Assocon).

Para o diretor secretário da Acrimat, Francisco Manzi, a adesão é uma conquista para a pecuária nacional e em especial para a mato-grossense, já que a associação participa do processo. “Teremos uma posição mais forte perante o mercado internacional. Conquistamos parceiros, produtores que têm as mesmas dores, mesmas dificuldades, mesmos problemas e que agora podem sentar juntos e encontrar soluções que sejam globais”, afirmou.

Segundo a Acrimat, a importância da participação do Brasil é também uma possibilidade de influenciar nas negociações internacionais como o Acordo Transpacífico (TPP), combater barreiras sanitárias e comerciais além de coordenar atuação nos fóruns de referência internacional como CODEX, OIE e comitê SPS/OMC.

Para o diretor institucional da Assocon, Márcio Caparroz, a oportunidade é estratégica. “É extremamente valioso para nossas negociações internacionais, para ajudar no combate sobre as barreiras sanitárias. Também para aprender com as outras associações parceiras como eles integram suas cadeias e geram negócios para os produtores”, comentou.

Scott Champion CEO’s da Associação de Produtores de Bovinos e Cordeiro da Nova Zelândia (Beef and Lamb New Zeeland), anfitrião da próxima conferência, destaca que, além de representar a América do Sul, o Brasil está alinhado com as diretrizes da FNBA.

“Há duas novas nações da América do Sul juntando-se a nós hoje, uma delas é o Brasil, que realmente capturou a razão das ações da Aliança. As nações exportadoras estão compartilhando ideias, problemas e soluções, tentando encontrar maneiras de abordar todos os aspectos globais do setor, e é sobre isso que é a Aliança Mundial”, disse Scott.

Fonte: Do G1 MT

Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização