Publicidade 1
Publicidade 1

Publicidade 14

Publicidade 14

Publicidade 15

Publicidade 15

Publicidade 16

Publicidade 16

Publicidade 17

Publicidade 17

Publicidade 18

Publicidade 18

Publicidade 19

Publicidade 19

Publicidade 20

Publicidade 20

Publicidade 21

Publicidade 21

Publicidade 22

Publicidade 22

Publicidade 23

Publicidade 23

Publicidade 24

Publicidade 24

Publicidade 25

Publicidade 25
Home » » Aplicativo criado por estudantes de MT será apresentado em Feira Internacional

Aplicativo criado por estudantes de MT será apresentado em Feira Internacional

Aplicativo criado por alunos de MT será apresentado em Feira Internacional


Um aplicativo de celular desenvolvido com o objetivo de mapear o desperdício da merenda escolar será mostrado ao Brasil e para outros 20 países. O produto, criado a partir do projeto “Índices de Desperdício de Alimentos na Residência dos Alunos”, é dos estudantes mato-grossenses Déborah Diogo Guedes, 16 anos, e Davi Bezerra Freire de Araújo, 18 anos, da Escola Estadual Alfredo José da Silva, de Barra do Bugres, a cerca de 165 km de Cuiabá.

A novidade, que ainda não está disponível aos colegas da escola, será também estendida para a comunidade na próxima fase do trabalho. Antes, porém, o aplicativo será apresentado na Feira Internacional de Ciência e Tecnologia (Mostratec), que acontecerá no Rio Grande do Sul, entre os dias 26 e 30 deste mês. O evento contará com a participação de centenas de projetos oriundo de escolas públicas e privadas do Brasil e de outros 20 países, entre eles, Rússia, China, Estados Unidos e Indonésia.

Serão cinco dias de apresentações envolvendo projetos de pesquisa em diversas áreas do conhecimento, realizados por jovens cientistas e pesquisadores do ensino médio e da educação profissional de nível técnico. Uma oportunidade que contará ainda, com eventos integrados como o Seminário Internacional de Educação Tecnológica (Siet), Mostratec Júnior, Robótica Educacional e atividades esportivas e culturais.

Até chegar ao desenvolvimento do aplicativo, os estudantes passaram por diversas etapas, entre elas de pesquisa literalmente com questionário na mão e olhar atento. “Tudo começou porque percebemos que os alunos estavam desperdiçando muito alimento no prato na hora do recreio. Mas era só uma questão de observação, não fizemos a pesagem para ver a quantidade disso. A base era a bacia com restos que acabavam indo para o lixo. Hoje até isso mudou, agora vira lixo orgânico e aprendemos a diferença entre resto e sobra de comida”, explicou Déborah.

Com a ajuda de uma nutricionista foram orientados que sobra é o que foi preparado e não foi servido, portanto, pode ser aproveitado porque não teve contato com a saliva. Enquanto que resto é o que fica no prato, não serve para ser reutilizado.

Déborah e Davi, então, queriam saber se os colegas tinham esse mesmo hábito em casa e elaboraram um questionário com sete questões. No primeiro momento da aplicação, 41% dos mais de 100 alunos do 1º ano do Ensino Médio responderam afirmando que desperdiçavam alimentos.

“Diante do que víamos, ainda era um resultado duvidoso. Aprofundamos o trabalho e acabamos descobrindo, depois das explicações da nutricionista, que o índice era maior, porque eles passaram a se conscientizar sobre a questão. Foram mais sinceros”, pontuou a estudante.

Foi aí que nasceu a ideia do aplicativo, voltado para ajudar os colegas. A ferramenta possibilitará que quantifiquem diariamente o que jogam fora e no final do mês podem ver o quanto desperdiçaram e quais produtos.“É muito gratificante orientar um projeto assim, que nasceu da curiosidade deles, e desperta o interesse da ciência, da tecnologia, essa busca pela inovação”, frisou a professora de Biologia, Laura Aparecida Ferreira de Amorim, orientadora da pesquisa.

Na Mostratec será apresentado além do aplicativo para o celular, o relatório nutricional do trabalho. Todos os participantes receberão certificados de participação da Mostratec. O evento é realizado anualmente pela Fundação Liberato.

Trajetória em feiras

As feiras são encaradas como um desafio, mas também são reconhecidas como um vasto potencial para novos rumos. Desde que a dupla se inscreveu na Feira Estadual de Ciência da Educação Básica de Mato Grosso (Feceb MT) de 2014, em Cuiabá, por exemplo, não parou mais.

Na oportunidade se destacaram conquistando o primeiro lugar e,, consequente uma bolsa de estudo científico patrocinada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Era também a credencial que precisavam para participar da Feira Nacional de Ciência e Tecnologia (Febrace), que aconteceu em março deste ano, em São Paulo. E eles estavam lá, ocasião em que abriram caminhos para a Feira Internacional de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul.

“Da Feceb veio o recurso para desenvolver a ideia. A Febrace acrescentou sugestões que aprimoraram nosso projeto. Agora vamos vivenciar uma nova etapa de trocas de experiências. Além de conhecer o que a ciência está produzindo pelo mundo afora”, destacou Déborah.

A aluna acompanhada da professora orientadora do projeto chega a Cuiabá no domingo (25.10) e viaja para o Rio Grande do Sul na madrugada do dia 26. Davi, o parceiro de pesquisa de Deborah, não poderá ir com elas por motivos pessoais.

Fonte: ELIANA BESS Assessoria/Seduc-MT - Foto: Divulgação
Espalhe por ai :
Copyright © Barra News - Todos os direitos reservados
Barra do Bugres - Mato Grosso - Brasil

Qualquer material nao pode ser publicado, transmitido, reescrito ou distribuido sem autorização